quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

E, o Novo Ano está aí…..

Está na hora de pensar e fazer um balanço deste Ano que nos vai deixar.

Políticamente não nos vai deixar muitas saudades mas, o pior é que o Novo Ano não promete nada de melhor…. enfim, estamos a fazer sacrifícios e a retirarem-nos regalias sociais, não para melhorar o País, mas sim ( tentar ) pagar as dívidas com que os os nossos políticos e a sua má governação nos meteram.

A nível pessoal passei momentos bons e outros menos bons, o que óbviamente faz parte da vida, mas sem dúvida a opção que tive que tomar e os momentos que passei em relação a minha mãe foram os mais complicados.
Na vida por vezes não fazemos aquilo que queremos mas sim, aquilo que podemos fazer.
Nunca pensei colocar a minha mãe num lar, por várias razões e muito mais por respeitar a opção do meu pai , que foi sempre contra essa ideia.

Só que este ano para a minha mãe ( de 88 anos ) a nível de saúde foi muito complicado , em duas quedas , esmagou o colo de fémur , de cada vez em pernas diferentes.

Morando na Província , com o meu pai de 91 anos, e mobilizada numa cama tendo como diagnóstico “ não voltar a andar “ por muita vontade que eu tivesse, o meu pai , e restante família, era muito complicado controlar a situação.

Depois, há momentos na nossa vida que nos sentimos muito divididos, pois estamos a cuidar dos filhos dos nossos filhos e aparecem-nos o problema dos nossos pais.
Não sendo o que queríamos …. Foi o melhor para ELA e também para o meu pai, o que se reflecte em mim.
Está bem, tem assistência, e dentro do possível está a viver um dia de cada vez com a
dignidade que merece

2 comentários:

Naná disse...

Arco Iris, colocar os nossos pais num lar nunca é uma decisão fácil. Julgo que não podemos reger-nos pelo nosso lado mais emocional, mas sim pelo lado racional e mais prático... o meu pai antes de ter sido vice-provedor num lar de idosos recusava-se a ir para um lar, dizia que se fosse para lá, seria porque eu o queria entregar à morte. Depois de ter visto em primeira mão, por ele mesmo, como as pessoas eram bem tratadas e acolhidas, mudou de opinião e dizia-me que quando chegasse a altura, ele mesmo iria para lá. Nunca chegou a acontecer...
Mas vi o encargo que a minha mãe teve a cuidar do meu avô acamado e sem lucidez nenhuma e vi o que isso fez...
Não se culpabilize nunca, porque por vezes o melhor que podemos fazer pelos nossos pais é pedir a outros que cuidem deles, mas estando sempre presentes!

Arco Iris disse...

Naná, pode crer que para inicio de Ano as suas palavras deram-me muito conforto.
Familiares e amigos já mas disseram, mas...vindo de uma amiga virtual foi mesmo muito BOM.
Agradeço-lhe muito.
BJS =)