quarta-feira, 6 de março de 2013


A nível de informação tento absorver  (as poucas ) mas boas notícias em relação a empresas , assim como a particulares que com empenho, dedicação e alguma originalidade , vão dando a volta à crise.
Estou-ma a lembrar dos sapatos  Nacionais que triunfam no Estrangeiro , passando pela cortiça, vinho , azeite, em que todos eles começam a ganhar peso em termos de volume e valor da exportações.
Há dias vi uma reportagem de particulares que se estão a dedicar ( no Algarve ) à plantação da figueira da índia, com o objectivo do consumo interno e externo.
Fiquei satisfeita por duas razões:
Primeiro porque creio que vai ser um investimento com credibilidade, porque não terá muitos custos , e do seu fruto e cacto , podem ainda extrair-se muita coisa.
A segunda razão é que na minha infância eram figueiras selvagens que pouca ou nenhuma importância tinham,mas para nós miúdos, irmos aos figos, prepará-los, comê-los, era um verdadeiro manjar.
Que saudade que tenho desse fruto delicioso, nunca me passaria pela cabeça que teria tantas propriedades.

É rico em açúcar e contém bons níveis de potássio, magnésio, cálcio e vitaminas CA, B1 e B2 .
A nível medicinal, esta planta é utilizada no fabrico de alguns produtos farmacêuticos, que são indicados para o tratamento de doenças urinárias, das vias respiratórias e como diurético. Das sementes extraem-se um óleo muito utilizado para produtos de cosmética.
Espero bem que esta iniciativa tenha sucesso , e que o famoso figo da índia faça parte da minha alimentação.


5 comentários:

Maria disse...

Não gosto de figos, mas na minha terra existiam muitas figueiras da Índia e o meu irmão adorava comer esse tipo de figos ( apesar do stress que era tirar o picos).
E ainda bem que ainda existem investidores em Portugal. ;)

bjs Arco.

Pérola disse...

Desconhecia este fruto.

Quando mencionavas os nossos artigos (mel, cortiça...) lembrei-me da história do sec. XIII que estudei com a filha ainda ontem. Eram os artigos que exportavamos na altura.
Passados tantos séculos, no limiar da independência.
Não evoluimos nada, é a minha conclusão.

Um beijinho

AvoGI disse...

Tabaibos como por cá são conhecidos. Altamente saborosos e depois de algum tempo no frigorífico ainda melhor
kis .=)

Tanita disse...

É preciso muita ginástica para sair da crise, não é fácil a pequenas empresas e sem apoios, mas com dedicação e muito empenho vamos conseguido. Falo por mim.
Beijinhos**

luisa disse...

E eu, algarvia marafada, que nunca os provei... Estou em falta. :)