terça-feira, 22 de janeiro de 2013

       Gémeos Belgas optaram pela Eutanásia depois de saberem que iam deixar de comunicar

A noticia já não é recente  , mas foi muito divulgada em vários Orgãos de Informação, não fosse ela um assunto polémico sujeita a várias opiniões.
Pela primeira vez no Mundo foi realizada uma Eutanásia de dois irmãos ( gémeos ) que sofriam de doença, mas não terminal.
Não fiquei indiferente ao assunto e muito menos ao cabeçalho da noticia do jornal O Público em que dizia :
 " Marc e Eddy ficaram felizes quando souberam o dia da sua morte "
A determinação consciente de tal ato, diria mesmo, a procura de uma tranquilidade mental e física, que sabiam que não iriam ter em Vida, levou-os a tão corajosa decisão.
Só tenho que respeitar, morreram com dignidade e isso é o que importa. 
          

7 comentários:

Tanita disse...

Concordo e quem me dera poder um dia ter esse direito de escolha, se algo me acontecer.

Naná disse...

A eutanásia continua a ser um assunto sobre o qual não consigo ter uma opinião firme. Mas não condeno quem a queira praticar...

estrela disse...

Não se consegue saber ao certo o que eles tinham pelos vistos, mas concordo contigo Arco, morreram com dignidade!

Pérola disse...

já tinha visto essa noticia na blogosfera.

Não julgo, mas penso e tenho ideias (mesmo que parvas) sobre os assuntos que entendo.

De vida penso entender pois estou viva.

Como a considero um dom, algo que ninguém tem o direito de retirar a si próprio ou outrém logo não aceito as condenações à morte, o aborto e a eutanásia ainda me dá que pensar.

Não me importo que me considrem antiquada ou qualquer outra coisa.
È só a minha opinião, nada mais.

Na situação em concreto, os irmãos surdos/mudos iriam ficar cegos e a comunicação tornar-se-ia dificil.
Acredito na capacidade de adaptação do ser humano.

Teriam um grande desafio pela frente, não duvido, mas há formas de contornar os problemas. De certeza que com tempo e carinho pelo meio iriam arranjar formas de comunicar.
Morrer? Para mim, não é solução.

Então também se concede a eutanásia a quem perde membros, sentidos ou fica tetraplégico.
A vida nunca mais seria a mesma,pois não.
Mas, quem disse que não seria possivel e até chegassem a ter momentos de felicidade.

Isto de morrer com dignidade também não entendo. É como se quer?

O Homem anda demasiado preocupado em controlar coisas que não lhe pertencem.
Por isso desembocamos na sociedade que se vê.

A vida é um presente, com doenças, tragédias, limitações, dor, mas também repleta de sorrisos.

Desistir? Optar pela via mais fácil? Não sei.
Respeito, mas não concordo.

Desculpa o testamento, mas esta matéria mexe muito comigo.

Beijinho

Maria disse...

Não sei porquê mas ontem não consegui comentar este teu post. Dava sempre erro. Mas hoje aqui fica.
Acho que a vida é de facto uma dádiva mas concordo que em casos de doenças terminais seja dada a hipotese de se morrer com dignidade como nesse caso. Para quê estar a sofrer desnecessariamente?!

bjs Arco Íris.

AvoGI disse...

Nao tenho uam opinião formada pois entendo que cada um é dono de si proprio , agora caacho estranho , caramba acabar coma vida? É um acto de egoismo
kis:=)

Arco Iris disse...

PÉROLA
Não é testamento nenhum, é a sua opinião e uma maneira muito lógica de ver e sentir este problema
Eu se sentir que a nível de vida clinicamente não tenho hipóteses, opto pelos "cuidados paliativos" porque sim quero morrer com dignidade.
Beijinhos ( é bom falarmos destes problemas)